Mercadores da Fé

Operações 7 de Jan de 2024

Saudações brasileiros,

O incomodo da extrema-direita contra aqueles que lutam pela liberdade, pela diversidade e igualdade já é conhecido por nós, principalmente dentro do campo bolsonarista e não esperávamos que em 2024 seria diferente. O ano mal começou e já fomos bombardeados com mais uma nova campanha de ódio, agora elaborada pelo mercador da fé “cristão” conhecido como Rubinho Nunes.

A CPI das ONGs (ou CPI do Ódio) não visa fiscalizar quem presta amparo aos moradores de rua da Cracolândia, como afirma Nunes. Na verdade, os objetivos são outros e sabemos, por isso contaremos para vocês. Nós não permitiremos que o cuidado com a população seja criminalizado em favor dos burgueses! A CPI se transformou em um palanque e Rubinho segue vociferando ódio e mentiras contra o Padre Júlio Lancellotti.

Rubinho, o soldado dos degenerados

Rubens Alberto Gatti Nunes, conhecido como Rubinho, é um dos fundadores do movimento de liberais degenerados, o MBL. Após a fundação do MBL (2014), o advogado autodenominado "soldado do MBL" mantém o título lançando processos judiciais contra figuras públicas do campo político ou jurídico. Apesar do que muito é divulgado a respeito de suas inúmeras ações, além de autodenominar-se responsável pelo Impeachment da ex-presidenta Dilma Rousseff, seu modus operandi é simplório: atacar indivíduos que estejam em foco na mídia, famosos ou assuntos do momento. Consolidou sua escalada social como um influencer iniciante: navegando no hype, espalhando fake news e se tornando foco de assuntos polêmicos. Suas ações, em maioria, já tiveram desfecho, sendo improcedentes.

Iniciou sua carreira no meio político sendo candidato como vice-prefeito em Vinhedo - SP. Com o fracasso eleitoral, mudou-se para São Paulo (Capital) e retoma sua atividade militante com integrantes do MBL. Com Kim Kataguiri eleito consegue um emprego como Secretário Parlamentar em seu gabinete, onde seguiu até sua campanha. Em 2020, foi eleito como vereador pelo Patritoras, com financiamento com mais de 250mil doados por bilionários como Helio Seibel (Grupo Ligna), Paulo Sérgio Coutinho Galvão Filho (Klabin), Dimitrios Markakis (ex-sócio da Dicico), Luís Terepins (fundador da construtora Even) e Jorge Mitre (Mitre Realty).

Enquanto vereador, segue com seu modus operandi com projetos inúteis, gerando prejuízos aos cofre publicos com seu gabinete, gastando mais de R$ 200.000,00 por mês. Moveu cerca de 3,8 milhões com emendas parlamentares somente em 2021, em suma para o Instituto Mensagem de Paz. Com 130 projetos de lei apresentados e somente 19 aprovados, raramente consegue o apoio necessário para discussão em plenário, quando não é derrubado pela justiça. Dentre seus projetos, estão a proibição de doação de alimentos, isenção de IPTU na Cracolândia, proibição de procedimento ou tratamento hormonal para menores de 18 anos e a absurda CPI das Ongs (ou CPI do ódio).

0:00
/1:11

"Quem defende o padre, ataca a polícia. Quem defende o padre, defende cracudo."

A CPI do Ódio

“[...] atua como um cafetão. Distribui marmita, mas não faz nada para salvar ninguém”.
É assim que Rubinho se refere ao Padre ao qual direciona sua CPI. Em 06/12, apresentou o requerimento 34/2023 com a seguinte ementa:

“Requer a criação e instalação de Comissão Parlamentar de Inquérito, com sete membros e prazo de duração de 120 dias, com a finalidade de investigar as Organizações Não Governamentais (ONGs) que fornecem alimentos, utensílios para uso de substâncias ilícitas e tratamento aos grupos de usuários que frequentam a região da Cracolândia.”

Rubinho alega que a Cracolândia é um problema social que afeta a comunidade. Inicia elogiando o trabalho das ONGs elevando sua relevância, mas, reafirma a falta de fiscalização por receberem financiamento público para suas atividades. Não estando isentas de investigação.

“Importante destacar, que a atuação de ONGs na região da Cracolândia possui a finalidade de reabilitar o dependente químico e, não apenas uma forma de auxílio para que continue a viver a margem da sociedade.”

Não, a atuação das ONGs é baseada e depende de sua missão, pautando-se em diversas premissas. Geralmente, ONGs estão inscritas em Conselhos Municipais e/ou Estaduais (Assistência Social, Saúde, entre outros), visando a política pública que esteja vinculada a sua atuação. Dessa forma, recebem dinheiro público e fiscalização pelo próprio conselho, mas, nem todas recebem esse subsídio. Para isso, é necessária a apresentação de um projeto, sendo aprovado em plenária do conselho, ainda assim, o repasse de recurso é fiscalizado e acompanhado.

“Os dependentes químicos precisam de programas de tratamento de alta qualidade para ajudar a superar o vício.”

A obrigação estatal é de ofertar esses serviços e programas de alta qualidade. No SUS, o Centro de Atenção Psicossocial álcool e outras drogas (CAPSad) é o equipamento público para tratamento e atendimento dessa população. A preocupação do vereador deveria ser a fiscalização do destino correto de recursos ao SUS e o atendimento adequado do CAPSad na região.

“Portanto, considerando o impacto que a Cracolândia vem causando a sociedade, principalmente para as pessoas que frequentam, habitam e possuem algum comércio na região central, a fiscalização das ONGs é de suma importância…”

Vemos a real preocupação de Rubinho, o comércio. Inexiste a preocupação com a população faminta e atendida por ONGs ou com o atendimento digno. Destaca-se o fato, as ONGs mantém as pessoas vivas com seu amparo, colidindo com os interesses individuais dos comerciários e burgueses da Cracolândia. Ele afirma que: “sinceramente, se eu pudesse e assim fosse fácil resolver, eu pegaria toda aquela gente, botava em um ônibus e mandava para Marte. Porque sinceramente, não tem como conviver com essas pessoas andando pelo centro de São Paulo”.

Ao todo, temos 23 cumplices da barbárie de Rubinho. Identificamos a lista completa das assinaturas, não sendo fornecido por nenhum outro veículo de imprensa.

Assinaturas listadas no documento, apoiadores da CPI. (Foto: EterSec)
  1. Xexéu Tripoli (PSDB) - (contém duas assinaturas)
    https://www.instagram.com/xexeutripolioficial/
    https://twitter.com/XexeuTripoli
    https://www.facebook.com/XexeuTripoli
  2. Adilson Amadeu (União Brasil)
    https://www.instagram.com/vereadoradilsonamadeu/
    https://twitter.com/VereadorAmadeu
    https://www.facebook.com/vereadoradilsonamadeu
  3. Fernando Holiday (PL)
    https://www.instagram.com/fernandoholiday/
    https://twitter.com/FernandoHoliday
    https://www.facebook.com/fernandoholiday
  4. Sandra Tadeu (União Brasil)
    https://www.instagram.com/dra.sandratadeu
    https://twitter.com/SandraTadeu
    https://www.facebook.com/Dra.SandraTadeu
  5. Fábio Riva (PSDB)
    https://www.instagram.com/fabiorivaoficial/
    https://www.facebook.com/fabiorivavereador
  6. Atílio Francisco (Republicanos)
    https://www.instagram.com/vereador.atiliofrancisco/
    https://twitter.com/atilio_oficial
    https://www.facebook.com/atiliofrancisco.oficial
  7. Milton Ferreira (Podemos)
    https://www.instagram.com/drmiltonferreira/
    https://www.facebook.com/drmiltonferreira
  8. Sidney Cruz (Solidariedade)
    https://www.instagram.com/sidneycruzsp/
    https://twitter.com/DrSidneyCruz
    https://www.facebook.com/drsidneycruz
  9. Xexéu Tripoli (PSDB) - (contém duas assinaturas)
    https://www.instagram.com/xexeutripolioficial/
    https://twitter.com/XexeuTripoli
    https://www.facebook.com/XexeuTripoli
  10. Beto do Social (PSDB)
    https://www.instagram.com/betodosocial/
    https://twitter.com/betodosocial
    https://www.facebook.com/betodosocial
  11. Rubinho Nunes (União Brasil)
    https://twitter.com/RubinhoNunes
    https://www.instagram.com/rubinhonunes.sp/
    https://www.facebook.com/RubinhoNunes.SP
    https://www.youtube.com/@RubinhoNunesSP
    https://www.tiktok.com/@rubinhonunes.sp
    https://t.me/rubinhonunes
  12. Jorge Wilson Filho (Republicanos)
    https://www.instagram.com/jorgewilsonfilhoxerife/ https://twitter.com/marlysaitosato/status/1742983481238725060 https://www.facebook.com/jorge.wilsonjunior.12
  13. João Jorge (PSDB)
    https://www.instagram.com/joaojorgeoficial/
    https://twitter.com/JoaoJorge45
    https://www.facebook.com/joaojorgesp
  14. Major Palumbo (Progressistas)
    https://www.instagram.com/majorpalumbo/
    https://twitter.com/majorpalumbo
    https://www.facebook.com/palumbo.marcos
  15. Sansão Pereira (Republicanos)
    https://www.instagram.com/sansaopereiraoficial/
    https://twitter.com/sansao_pereira
    https://www.facebook.com/sansaopereiraoficial
  16. Thammy Miranda (PL)
    https://www.instagram.com/thammymiranda/
    https://twitter.com/ThammyReal
    https://www.facebook.com/ThammyOficial
  17. Gilson Barreto (PSDB)
    https://www.instagram.com/vereador_gilsonbarreto/ https://www.facebook.com/gilsonbarreto45
  18. Isac Félix (PL)
    https://www.instagram.com/isacfelix_
    https://www.facebook.com/vereadorisacfelix
  19. Waldir Junior (PSD)
    https://www.instagram.com/waldirjuniorsp/ https://www.facebook.com/WaldirJuniorFanPage
  20. Rodrigo Goulart (PSD)
    https://www.instagram.com/rodrigohgoulart/ https://www.facebook.com/RodrigoGoulartOficial
  21. Nunes Peixeiro (MDB)
    https://www.instagram.com/dr_nunes_peixeiro/
    https://twitter.com/nunes_vereador
    https://www.facebook.com/vereadornunes
  22. Marcelo Messias (MDB)
    https://www.instagram.com/marcelomessiassp/
    https://twitter.com/m_messiassp
    https://www.facebook.com/marcelomessiassp
  23. Rute Costa (PSDB)
    https://www.instagram.com/vereadorarutecosta/
    https://twitter.com/RuteCostaSP
    https://www.facebook.com/vereadorarutecosta
  24. Marlon Luz (MDB)
    https://www.instagram.com/marlonluz/
    https://twitter.com/marlonluz
    https://www.facebook.com/marlonluz

Embora alguns vereadores tenham se manifestado pela remoção de suas assinaturas, o requerimento já foi protocolado e segue em tramitação. Em suma, todos alertam que foram enganados, mas, o requerente expõe publicamente seu ódio e o direcionamento da CPI ao padre. Rubinho afirma que "quem defende o padre, ataca a polícia. Quem defende o padre, defende cracudo. A lógica é simples.”

“Vou fazer um exame nas entranhas desse sujeito. Todo mundo vai saber o que tem por trás do Lancellotti. Vai saber aonde vai o dinheiro, onde entra, onde sai, o que ele faz. Vai saber o que ele faz na hora que ele está quietinho. O que será que ele faz quando ninguém vê? Ah, Julio Lancellotti, o que você faz quando apagam as luzes?
Uma pessoa no fundo diz: “Ele gosta de algemas.”
Rubinho continua: “Ele gosta, né? Será que ele toma o suco? É, meu amigo, vai ser investigado”.

A devoção por seus doadores

Como mencionamos, sua campanha foi financiada por diversos bilionários. Mas, existe um interesse profundo, que traz seus projetos ilógicos para a questão urbana, a ligação de Rubinho com figuras da especulação imobiliária de São Paulo. Donos de grandes construtoras de empreendimentos doaram diversos valores exorbitantes para sua eleição.

Além de seus projetos, em 2023, Rubinho foi eleito o presidente da Comissão de Política Urbana da Câmara, responsável pela revisão do Plano Diretor Estratégico (PDE) com validade de 10 anos e da Lei de Zoneamento, projetos que trazem ganhos de bilhões de reais ao setor da construção.

“O texto é um grande avanço, corrige erros históricos do Plano Diretor, incentiva o comércio e caminhabilidade com fachadas ativas, promove o adensamento e traz a iniciativa privada para suprir o déficit habitacional por meio de um programa inovador de HISs”, disse Rubinho ao Gazeta de S. Paulo.

A lei complementar ao PDE, o Projeto de Lei de 586/2023 (Lei de Parcelamento, Uso e Ocupação do Solo — conhecida como a Lei de Zoneamento) dispondo o que pode ser construído na cidade. Com a votação suspensa pelo TJSP, após uma cidadã apontar a falta de participação necessária para esse projeto, em ação popular.

Merece destaque a isenção do ISS dos estádios do São Paulo, Palmeiras e Corinthians no PDE. Mesmo com gigantesco impacto financeiro no cofre da cidade, não aparenta incomodar o relator da comissão Rodrigo Goulart, tendo seu pai como membro vitalício do Conselho do Corinthians. Somos favoráveis ao esporte e sua valorização, porém os recentes eventos como de Taylor Swift, RBD ou Coldplay, geraram um retorno imensurável em impostos.

É evidente a relação entre a CPI das ONGs e o PDE. A "limpeza" favorece a expansão imobiliária e a atuação do Padre Júlio confronta os interesses dos burgueses. A arquitetura hostil e a precarização da população de rua, recebe um grande amparo do padre e sua pastoral. Pagando seus favores aos doadores, Rubinho já tentou proibir a doação de alimentos por qualquer pessoa ou entidade para os moradores de rua, e curiosamente, foi o autor do PL que insentava a cobrança de IPTU na Cracolândia.

Consultando as contas da campanha de Rubinho, verificamos que foram doados:

  • R$ 30 mil - Dimitrios Markakis - 059.285.778-69
  • R$ 30 mil - Helio Seibel - 533.792.848-15
  • R$ 30 mil - Jean Marc Robert Nogueira Baptista Etlin - 051.036.138-24
  • R$ 30 mil - Eduardo Girão - 319.668.103-34
  • R$ 25 mil - Luis Terepins - 913.274.318-15
  • R$ 20 mil - Eduardo Sampaio Ramos - 082.371.598-10
  • R$ 15 mil - Jorge Mitre - 636.068.368-72
  • R$ 10 mil - Marcos Aurelio Basso - 027.919.289-44
  • R$ 10 mil - Paulo Cesar Pedroso Rossi Cuppoloni - 135.199.418-21
  • R$ 10 mil - Paulo Sergio Coutinho Galvão Filho - 040.443.368-57

A arquitetura Hostil

Arquitetura hostil é nome dado ao uso de elementos, equipamentos e materiais com objetivo de afastar as pessoas de calçadas, praças e viadutos. É empregada, principalmente, para evitar a acomodação e permanência da população em situação de rua. Em dezembro de 2023, o governo federal regulamentou a Lei Padre Júlio Lancellotti (Lei nº 14.489/2022), que proíbe o uso de arquitetura hostil.

O Estado, que não atende e não acolhe a população mais vulnerável, faz o uso dessa ferramenta para segregação social, oprimindo a população de rua. Sem ter acesso as políticas públicas e de serviços de primeira necessidade, essas pessoas não podem se abrigar em áreas livres de uso público, pois o governo as impede com grades e alambrados, ferros pontiagudos, instalação de pedras irregulares e bancos com divisórias. Tornam o ambiente desconfortável ao máximo e agressivo.

O principal interesse da arquitetura hostil é a especulação imobiliária. Opressores e proprietários de imóveis da região do centro de São Paulo, financiadores de Rubinho, travam uma batalha contra pessoas desamparadas e abandonadas pelo sistema.

Conclusão

Como descrevemos até aqui, Rubinho tem um longo histórico em seu envolvimento com o golpismo e interesses imobiliários em suas campanhas de ódio, seus processos são inúmeros. Sabemos que ele gosta de dar trabalho ao judiciário, estaremos aguardando ansiosamente a citação. É nosso dever enquanto participantes da sociedade cobrarmos e exigirmos justiça social. Sendo assim, estamos divulgando suas informações pessoais, para nossos seguidores e leitores enviarem um recadinho a ele e procurar mais sobre suas falcatruas.

Rubens Alberto Gatti Nunes
CPF: 369.073.308-14
Titulo de eleitor: 333070920159
RG: 35.159.137-0 
Data de nascimento: 02/06/1988
WhatsApp: (11) 91199-5511 - Câmara
WhatsApp: (11) 99692-9212
E-mail: [email protected]
E-mail: [email protected]
Parte frontal da OAB de Rubinho
Verso da OAB de Rubinho
WhatsApp de Rubinho - (11) 91199-5511
Captura com o total remuneratório mensal dos colaboradores do gabinete de Rubinho (Foto: EterSec)

Marcadores

EterSec

EterSec é uma célula Anonymous baseada nas ações coletivas e na diversidade. Na era da informação, não podemos nos isolar, devemos nos unir na construção coletiva de um futuro mais livre.