Os 4 porquinhos

Operações 1 de Nov de 2023

Saudações cidadãos do mundo,

Saudações cidadãos do Brasil,

O fim da liberdade passa pelo fim da verdade. Quão livres somos, quando o que podemos contar é censurado violentamente e a versão do Estado é a única que pode perpetuar-se? Quão livres somos, quando pagamos com sangue e constrangimento o preço de noticiar a verdade?

Hoje trazemos a vocês a história de um jornalista que pagou o preço de exercer seu ofício ao ser atacado por 04 porcos e torturado diante dos seus filhos que nada podiam fazer. A impotência e o medo são a base de um Estado que se diz democrático e de direito, que utiliza da violência e opressão por meio de seus agentes. A quem interessa censurar a verdade?

Nós somos Anonymous, conhecemos o poder da verdade e prezamos pela liberdade. Chegou a hora de incendiar o pavio da revolução, de rasgar o véu que obscurece a justiça, e de lutar por um amanhã onde todos, independentemente da cor da pele, orientação sexual, ou gênero, possam viver suas vidas com dignidade e segurança. Dentro do nosso coletivo deixamos de sermos importantes como indivíduos, não temos uma identidade que importe, nos tornamos anonimos membros de uma legião. Assim, morremos enquanto cidadãos que só queriam existir livres, mas renascemos sem nomes, sem rostos, apenas movidos pelo sentimento da revolta, da indignação, e maiores do que o Estado que tentou nos tornar medrosos e falhou de todas as maneiras possíveis em sua missão, para lembrá-lo de que ele deve nos temer.

O CASO

No dia 02/06/2023, na cidade de Nova Andradina - Mato Grosso do Sul, um jornalista foi covardemente agredido por 04 porcos fardados, numa manhã, na rua, a luz de todos.

Jornalistas desempenham um papel vital na sociedade ao fornecer informações e notícias que nos mantém informados. O direito de noticiar fatos é uma expressão da liberdade de imprensa, um pilar democrático fundamental que permite que estes profissionais desempenhem seu papel de fiscalizadores e comunicadores. Noticiar fatos de interesse público com imparcialidade e precisão é essencial para garantirmos que a sociedade se mantenha com senso crítico.

Também é importante garantir o direito de preservar fontes confidenciais, pois ele é fundamental na obtenção de informações sensíveis e reveladoras, protegendo aqueles que correm riscos ao compartilhar fatos importantes. Essa medida promove a responsabilidade e a transparência, contribuindo para a busca contínua da verdade e a manutenção da integridade do jornalismo em sociedades democráticas. O anonimato da fonte é o que garante que muitos criminosos não cometam vingança contra quem os denunciou.

Nosso colega jornalista estava dirigindo para sua casa, quando policiais militares passaram a segui-lo. Quando chegou em casa, seu local de segurança, foi abordado pelos porcos, que invadiram seu domicílio e passaram a torturá-lo. Isso tudo aconteceu na frente de seus filhos, que viram o pai ser jogado no chão, recebendo socos e chutes do PMs e nada puderem fazer para protegê-lo.

Esse crime tinha como objetivo calar o jornalista, pois o mesmo, em outro momento já tinha sido perseguido pelo porco que é comandante da polícia local, o qual já havia aberto 02 inquéritos policiais para que o jornalista revela-se suas fontes, mas como já falamos, o sigilo da fonte é uma das bases do jornalismo. Ao comemorar a transferência do porco que lhe perseguia, pois acreditava que finalmente poderia exercer sua profissão sem correr perigo, o jornalista foi covardemente atacado na sua própria casa.

Os porcos agiram usando 02 viaturas descaracterizadas, um Renault Sandero e uma mitsubishi L200. Elizeu, que deveria estar de folga, conduzia o Sandero, que tinha como passageiro Luiz Antônio, que na data estava de licença saúde. Marco Aurélio, na L200, era o único dos porcos na escala de serviço, e tinha como passageiro José, que deveria estar trabalhando na Unidade Ambiental de Bonito/MS.

O azar dos policiais é que na casa do jornalista haviam câmeras de segurança e ele sabendo disso, fez o possível para chegar em casa com vida. Ao chegar em casa, as imagens registraram todo o crime cometido pelos porcos de farda.

O jornalista chegou em casa, estacionou o carro e tentou entrar rapidamente para fugir dos porcos bastardos. Lá esteve em contato primeiramente com o porco Luiz Antônio. A vítima tenta entrar, mas é pega de dentro da sua residência pelo porco, que lhe dá um mata leão e arrasta para a calçada em frente a casa.

Logo após ser jogado contra o chão, os outros porcos chegam para ajudar. Todos os porcos entram no quintal da vítima, a imobilizam e torturam, pegam seus telefones e revistam seu carro. Também mentem para a vítima, dizendo estar ali para cumprir uma investigação policial que nunca existiu e que o delegado estava ciente e aguardando na delegacia.

0:00
/1:47

Para resguardar a sua vida, o jornalista registrou os fatos em boletim de ocorrência ainda naquela manhã na delegacia. Mas a audácia dos porcos imundos não acaba aqui, pois naquela tarde ainda foi realizado registro de ocorrência pelos porcos, onde afirmam que a vítima resistiu, desobedeceu e os desacatou. E, mais absurdo, colocam que a vítima foi quem os agrediu com socos.

Os porcos foram transferidos, conforme consta no diário oficial. Mas, como sempre, o Estado protege soldados, por isso, os porcos foram transferidos por necessidade do serviço, o que lhes confere 45 dias de folga e um adicional no salário para que possam se adaptar a nova localidade. Ou seja, os porcos bastardos ainda ganharam uma bonificação!

Para o Ministério Público do Mato Grosso do Sul, os porcos cometeram crime de lesão corporal e constrangimento ilegal, havendo indícios, também, do crime de violação de domicílio e falsidade ideológica. Diante da gravidade dos fatos, o MP pediu a prisão preventiva dos porcos no dia 07/06/2023.

Contudo, no dia 14/06/2023, a 'IN’ justiça indeferiu o pedido de prisão e determinou algumas medidas:

  1. proibição de aproximação da vítima, de seus familiares e das testemunhas, na distância mínima de 500 metros (quinhentos metros), e;
  2. proibição de contato com a vítima, seus familiares e testemunhas por qualquer meio de comunicação;
  3. proibição da saída da Comarca de Campo Grande sem autorização judicial;
  4. deverão ser empregados apenas em atividade administrativa e sem uso de armamento.

Inconformado com a decisão, o MP recorreu no dia 19/06/2023 e o Tribunal de Justiça do Mato Grosso do Sul negou o recurso, e desde então o processo não teve mais movimentação.

OS 4 PORQUINHOS

ELIZEU TEIXEIRA NEVES

CPF: 077.963.209-57
Nascimento: 09/10/1991

Redes Sociais


Facebook: 
https://www.facebook.com/elizeu.neves.39

Instagram:
https://www.instagram.com/elizeu114neves
https://instagram.com/nevesarcondicionado

Esse não é o primeiro crime de Elizeu. Em 25/01/2020, ele matou um jovem de 23 anos num posto de combustível de Ivinhema. Inclusive, foi mandado a júri popular, segundo notícia do G1. Esse porco bastardo chegou a ficar preso, mas no julgamento o júri entendeu que ele agiu em legítima defesa e acabou absolvendo. Um porco, de folga, se envolve numa confusão, mata um jovem com a arma do Estado e é absolvido.

JOSÉ DOS SANTOS DE MORAES

CPF: 804.769.881-87
Nascimento: 19/11/1977

LUIZ ANTONIO GRACIANO DE OLIVEIRA JUNIOR

CPF: 015.758.871-85
Nascimento: 05/10/1986

Redes Sociais
Instagram: https://www.instagram.com/chacal.automoveis/
Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100012161257429
https://www.facebook.com/luiz.antoniojunior.54

Esse é o porco que estava doente para trabalhar, mas saudável para torturar! Além disso, não é a primeira vez que ele se envolve em crimes. No processo 0002358-42.2021.8.12.0017, foi aberta sindicância para apurar fatos de ameaça e injúria. Consta que o PM ofendeu uma mulher que trabalhava como empregada doméstica em sua casa, pois ela entrou com processo trabalhista requerendo seus direitos. A mulher trabalhava sem registro em carteira e foi dispensada por estar grávida. No dia da audiência trabalhista, o porco passou a ofender a mulher e ameaçar, dizendo que ela iria pagar.

Veja a ficha funcional do porco:
18/02/2020: advertência
19/08/2019: repreensão
16/07/2019: repreensão
16/07/2019: repreensão (de novo)
05/06/2013: detenção
10/04/2012: detenção
03/02/2012: detenção
14/07/2009: repreensão

MARCO AURELIO NUNES PEREIRA

CPF: 786.997.971-68
Nascimento: 21/12/1977

Redes Sociais
Facebook: https://www.facebook.com/marcoaurelio.nunespereira
Instagram: https://www.instagram.com/marquinhonova5/
E-mail: [email protected]

CONCLUSÃO

Porcos, vocês não nos calarão! Se vocês continuarem com a violência, serão expostos. Suas fardas não os protegem! Aqui mais uma vez, lembramos a vocês que estamos em todos os lugares, que a voz de uma única pessoa que eles tentem calar, que terá suas palavras abafadas pela dor e embebidas no sangue, será ecoada por uma legião. Nós trazemos a vocês a verdade. É constrangimento que vocês porcos fardados querem causar? Nós mostraremos a vocês, porcos bastardos, o constrangimento que somente a verdade pode conquistar.

Nós somos um grito pela mudança. Nossa revolta é o trovão que ecoa nos corações cansados e nas mentes determinadas. É um grito de fúria, mas também de esperança, que corta o silêncio cúmplice que permitiu a opressão e a violência policial prosperarem por muito tempo.

Esta é uma convocação para todos os verdadeiros cidadãos de bem, para todas as almas que sentem a revolta correndo em suas veias. Juntos, podemos desafiar a opressão, exigir responsabilidade daqueles que deveriam nos proteger e, por fim, criar uma sociedade onde a justiça não seja apenas uma palavra vazia em um documento legal, mas sim uma realidade que abraça a todos nós.

A revolta é a nossa aliada nesta jornada, é a chama que queima em nossos corações e não nos deixa desistir. Somos a mudança que ansiamos ver no mundo!

Nós não perdoamos,

Nós não esquecemos,

Nós somos Anonymous,

Nós somos EterSec,

Espere por nós!

Marcadores

EterSec

EterSec é uma célula Anonymous baseada nas ações coletivas e na diversidade. Na era da informação, não podemos nos isolar, devemos nos unir na construção coletiva de um futuro mais livre.