Privacidade Digital: O lado que você não sabe

Notícias 6 de Out de 2021

Cada click que é dado, cada ação que é tomada na internet, querendo ou não, é monitorada por grandes empresas que rastreiam, muitas vezes por meio de Inteligência Artificial (IA), o seu comportamento social, comportamento profissional, desejo de compra, comportamento político e tudo que é pesquisado ou ansiado pelo indivíduo, ou seja, você.

Todo site, aplicativo ou serviço digital possui uma política de privacidade que consiste em uma declaração, com objetivo de expor os propósitos que a empresa tem com relação às informações do usuário que o acessa. Porém, além do usuário aceitar o termo sem ao menos ler o primeiro parágrafo, algumas informações sobre coleta de dados passam despercebidas e o usuário acaba utilizando o serviço (site ou aplicativos) sem saber que pode estar sendo coletado seus dados para uso de grandes empresas.

Um exemplo simples e de fácil entendimento é a própria Google, que em seu termo consta que a empresa pode usar todos os seus dados para tudo que existe e tudo que há de existir, seja desenvolvido pela própria Google ou por um de seus parceiros. O que deixa o usuário completamente cercado de coletas de dados (que ocorrem sem ele saber), pois a grande maioria dos serviços que estão online passam pelo Google.

Além de apenas coletar, rastrear e mapear os dados dos usuários, outro grande poder que a falta de privacidade pode trazer é a visão de mundo em si. O caso da Cambridge Analytica juntamente com o Facebook foi uma grande demonstração de como é feita a manipulação de pensamento comportamental baseado em dados dos usuários do Facebook, dados de 50 milhões de pessoas foram utilizados sem o consentimento durante um teste psicológico feito pela rede social que foram utilizados com objetivo final de realizar campanha política.

Tudo que se possa usar gratuitamente na internet, na verdade, é pago com a coleta de dados durante o uso do próprio, no caso das redes sociais a moeda de troca entre a plataforma e o usuário são todos os dados que o usuário do site gera.

A venda de dados para terceiros é legal, desde que a pessoa aceite os termos de privacidade do serviço utilizado, porém existe um outro mercado em que esses dados estão na internet comum, não havendo necessidade de busca na Deep Web, onde é possível a compra de informações sigilosas de fácil acesso.

Com isso, a privacidade do usuário acaba sendo quase 0, ainda mais se o mesmo faz questão de expor sua vida online. Além de pessoas comuns terem acesso as informações divulgadas dos usuários e utilizá-las da forma em que acharem melhor, empresas podem vigiaram qualquer pessoa a qualquer momento, como o caso de Edward Snowden, que mostrou como alguns dos programas de vigilância da NSA são utilizados pelo governo Americano para espionar a sua população, utilizando servidores de empresas como Google, Apple e Facebook.

Constitui-se como um direito humano fundamental à privacidade, sendo ela física ou digital.

A digital faz parte da privacidade pessoal, que se refere ao direito que o indivíduo tem quando armazena, exibe ou fornece toda e qualquer informação sobre si na internet. Pode conter, por exemplo, informações de identificação pessoal quanto às informações de dados e comportamentos que o usuário deixa a cada site em que ele utiliza.

A lei do Marco Civil da internet, que foi constituída em 2014 na Constituição Federal, apresenta como direitos e garantias fundamentais de todos os indivíduos o direito à inviolabilidade da sua privacidade e proteção à sua liberdade de expressão.

Essa lei tem como objetivo preservar a privacidade de vida do cidadão em âmbito nacional e, simultaneamente, garantir o seu direito à liberdade de expressão. Esse direito à privacidade assegura que não haverá exposição da vida íntima e privada dos usuários a terceiros sem o consentimento do mesmo.

Após o Marco Civil da internet de 2014, foi implementada, em 2018, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), ou Lei n. 13.709/2018. que tem como objetivo de estabelecer a privacidade como um direito civil regulando as atividades de coleta, tratamento e distribuição de dados pessoais no país. Aprovada em 2018 e entrando em vigência dia 1º de agosto de 2021, a Lei prevê a penalidades e execução de sanções para empresas que desrespeitarem suas normas.

Caso empresas utilizem de forma irregular dados pessoais, a lei prevê punições, que podem ir de advertências até multa simples e diárias, com possibilidade de chegar a R$ 50 milhões, até a suspensão e proibição de tratamentos de dados. Porém, a lei é apenas em âmbito nacional.

Se há temor de contrair a COVID-19 ou HIV por não haver cuidado, também deve-se temer ser vigiado, analisado, direcionado e manipulado por grandes corporações sem o seu consentimento. Como em todos os aspectos de nossas vidas, o cuidado é essencial, ainda mais se tratando do mundo online, que somos muito mais vulneráveis que o físico.  Sabendo disso, listamos as ferramentas necessárias para se obter mais segurança e privacidade online.

Ferramentas para obter mais privacidade e segurança:

1 - VPN

As VPNs (traduzido em Redes Virtuais Privadas), escondem seu IP, identificação única para cada computador conectado a uma rede, fazendo assim que os sites e aplicativos quando forem rastrear onde você está, não consiga obter seu real endereço, mas sim um virtual em qualquer lugar do mundo.

2 - Navegadores

Os navegadores são uma parte importante no quesito segurança e privacidade online, um navegador tem a função de levar o usuário a qualquer parte da internet. Portanto, a escolha de um navegador mais seguro é essencial. O navegador Google Chrome rastreia seus dados e os envia para empresas, pensando nisso, o navegador Firefox é um dos mais seguros e que garantem que seus dados não sejam rastreados.

3 - Criptografia

A criptografia em segurança virtual é a transformação de dados de um formato legível em um formato codificado. O acesso a esses dados criptografados só se dá após serem descriptografados. A forma mais importante de garantir a segurança de informações contra roubos e usos maliciosos é a criptografia, que é um elemento fundamental da segurança de dados.

Essa ferramenta está inclusa na maior parte de serviços, principalmente mensageiros. Antes de utilizar qualquer serviço digitalmente, é recomendável verificar se o mesmo possui criptografia, assim, só o usuário principal e o secundário poderão ter acesso à informação que está sendo passada.

4 – Comunicação

Além da importância da segurança ao navegar pela internet, também se torna importante a anonimidade no envio de mensagens e comunicação no geral por meio de e-mails ou mensagens instantâneas, alguns provedores possibilitam essa privacidade, como por exemplo para e-mails temos protonmail e mailfence entre outros, já para mensagens instantâneas temos o signal, element e jami entre outros, que possibilitam essa privacidade por meio de criptografia peer to peer.

5- Documentos

Outro quesito importante é a segurança no envio e recebimento de arquivos de maneira segura, para essa função temos também algumas ferramentas sendo as principais o onionshare e magic wormhole, que asseguram essa privacidade por meio de geração de URLs indecifráveis, permitindo o envio de arquivos e até pequenos textos de maneira segura.

6- Senhas

A organização de senhas muitas vezes se torna complicada devido a quantidade de aplicativos e sites que se utiliza, para tornar essa organização mais fácil e segura temos os gerenciadores de senhas, um gerenciador de senha é um programa que é usado para armazenar uma grande quantidade de nomes/senhas. O banco de dados onde esta informação é armazenada é criptografado usando uma única chave “senha mestre”, para que o usuário apenas tenha que memorizar uma senha para acesso a todos as outras. Isso facilita a administração de senhas e incentiva a escolher chaves mais complexas.

7- Edição de textos e trabalhos

Programas e ferramentas de edição de textos muitas vezes salvam seus documentos e armazenam na base de dados deles as principais informações, o que torna arriscado dependendo do tipo de trabalho que se está realizando, porém existem outros programas que permitem garantir mais sua privacidade não salvando as informações e principalmente por serem criptografados, temos como exemplos o write.as, etherpad e cryptpad.

Marcadores

EterSec

EterSec é uma célula Anonymous baseada nas ações coletivas e na diversidade. Na era da informação, não podemos nos isolar, devemos nos unir na construção coletiva de um futuro mais livre.

Great! You've successfully subscribed.
Great! Next, complete checkout for full access.
Welcome back! You've successfully signed in.
Success! Your account is fully activated, you now have access to all content.